João Amós Comênio




A educação da juventude se processará facilmente se começar cedo,antes da corrupção das inteligências.

João Amós Comênio

sábado, 7 de janeiro de 2012

Sugestão de uma estratégia pedagógica utilizando as Múltiplas Inteligências


foto de Gardner
Howard Gardner

A ideia de que a Teoria das Inteligências Múltiplas contribui para sustentar uma aprendizagem significativa desde os primeiros anos escolares, permite que se faça algumas sugestões para o efeito da mesma nos contextos da Educação Infantil.

Lenda da Iara
Conteúdo: Lendas Folclóricas Brasileiras 
Objetivo: Conhecer lendas do folclore brasileiro, ampliando o repertório cultural. 
Material Necessário: Livro ilustrado com a lenda da Iara, papel canson tamanho A-3, nankin (várias cores), lápis de cor, cotonete, papel machê, tinta acrílica, papel rococó. 
Tempo Estimado: 5 aulas 
Desenvolvimento: 
1ª etapa – Contar a lenda da Iara. Após ouvir a lenda a turma deverá, individualmente, fazer um registro ilustrando a parte que mais gostou. A técnica a ser utilizada será cotonete com nankin para o desenho e lápis de cor para colorir. 
2ª etapa – Fazer o reconto da lenda junto com a turma. Eles devem contar a lenda enquanto a professora escreve, fazendo intervenções para que percebam a diferença entra a língua falada e a língua escrita. 
3ª etapa – Confecção coletiva da personagem Iara em tamanho real, utilizando papel machê. 
4ª etapa - Pintar coletivamente a Iara com tinta acrílica e colar o papel rococó para o cabelo. 
5ª etapa – Convidar uma turma para ir até a classe e contar a eles a lenda da Iara.

Ao ouvir e elaborar o reconto da lenda, as crianças estarão desenvolvendo a inteligência lingüística, seja na habilidade oral ou escrita, pois apesar de ainda não saberem escrever, com a ajuda do educador poderão perceber a diferença entre as duas linguagens.

Com a utilização da ilustração em papel canson, esta tem como objetivo estimular a inteligência espacial, pois as crianças deverão adaptar o desenho ao tamanho do papel, maior do que o tradicional A-4; além disso, estarão trabalhando com uma técnica diferente, pois o traçado do nankin com cotonete é mais grosso do que um lápis grafite ou caneta hidrocor.

Ao confeccionar a Iara com papel machê, estarão desenvolvendo também a inteligência físico-cinestésica, pois utilizarão o próprio corpo (no caso as mãos), para fabricar o objeto. Além disso, estimularão também a inteligência interpessoal, pois todo o trabalho deverá ser feito em grupo.

Com este exemplo, pretende-se mostrar que as inteligências podem ser estimuladas sem dificuldade na Educação Infantil, basta o professor variar nas estratégias utilizadas em sala, ser criativo e inovador. Nesta proposta espera-se que sejam desenvolvidas 4 inteligências, acrescida da inteligência intrapessoal, que deve ser estimulada diariamente pelo docente. Porém, a cada planejamento, deve-se variar os estilos de atividades, buscando o maior número de informações que ampliam o repertório das crianças.

Segundo Gardner, existem várias estratégias que são significativamente importantes para realizar um trabalho dentro dos conceitos das Inteligências Múltiplas. Por exemplo:


Separar o máximo de dados sobre como a criança lê e dividir este conhecimento com o professor e com a criança (Quando a criança vai ficando mais velha, ela mesma pode dar muita informação). Cada criança chega à escola com uma "bagagem cultural" diferente da outra, e este conhecimento deve ser considerado pelos professores. (GARDNER, 2001, p.187-188).

O autor expande esse argumento, considerando que é importante

•Permitir que os alunos continuem muitos anos com o(s) mesmo(s) professor(es), para que possam ficar se conhecendo bem.

•Ter um sistema eficaz de transmissão de informações nas escolas, para que os professores do próximo ano saibam o máximo possível sobre os novos alunos. E garantir que o professor tenha acesso rápido a esta informação e possam atualizá-la conforme necessário.

•Ser flexível na hora de designar o professor para as turmas, para que possa haver mais compatibilidade entre professor e alunos.

•Ter alunos mais velhos trabalhando com os mais novos, ou ter alunos com abordagens de aprendizado compatíveis ou complementares trabalhando juntos (GARDNER, 2001, p.187-188).

Há, portanto, uma sinalização clara da intenção de fortalecer outras formas de ensinar além das práticas vivenciadas no cotidiano, alertando os educadores para a necessidade de redefinir o seu papel, pensando no desenvolvimento da aprendizagem de modo mais significativo, acompanhando o impacto de um novo tempo.

Fonte:revista.fundacaoaprender.org.b

Um comentário:

Rosangela Vali disse...

OI amiga..cada vez que passo por aqui fico mais encantada com seu trabalho.
Sou adepta da teoria das inteligências múltiplas.Gostei do seu material.
Jaci, venho dedicar a vc o meu selinho presente que está no meu blog. Dou pela admiração e carinho que tenho por você.Passe lá.
Boa semana e até mais!